5 de abril de 2012


Eu mudei muito nos últimos anos. 
Mudei sem oferecer a menor resistência. 
Mudei sem me surpreender com as mudanças. 
Elas simplesmente apareceram, aconteceram, me invadiram e se instalaram. 
Então, eu finalmente me senti em casa dentro de mim mesma. 
E hoje, mais do que nunca, sinto que não devo nada para ninguém. 
A gente demora demais para se livrar de pesos e culpas. 
Mas um dia, finalmente, a gente acorda. 
E descobre que tem uma vida inteirinha pela frente.

Clarissa Corrêa

Nenhum comentário:

Postar um comentário