26 de outubro de 2012


E eu espero...
Não por uma brisa passageira, nem por uma chuva de verão que passa e leva os sonhos mais simples.
Espero por alguém que olhe para mim, como aquela que nunca vai querer que vá embora.
Não por alguém que me ame como amaria ter um guarda-chuva nos momentos inoportunos da vida, mas por alguém que me ame, como amaria ter o aconchego do lar.
Por que um guarda-chuva se desfaz mais rapido do que o telhado de uma casa.
E uma casa protege mais, do que um frágil guarda-chuva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário